Flash Tattoos são a nova tendência nos eventos mais badalados

Os Flash Tattoo Day's já se tornaram comuns no mundo das tatuagens. Cada vez mais tatuadores e estúdios investem na nova tendência: fazer tatuagens minimalistas e rápidas durante encontros e eventos. E, bom, não estamos falando de tatuagens temporárias. Se antes a moda eram os fechamentos, com tatuagens enormes e cheias de detalhes, agora as coisas mudaram. Pequenas tatuagens, com tamanhos diminutos e traços simples têm ganhado espaço no coração dos amantes de tinta.

Neste artigo, explicaremos o que são Flash Tattoos, qual é a origem desse movimento e quais são as vantagens e as desvantagens de aderir à tendência.

Flash Tattoo: a origem do rolê

Você já ouviu falar das Tatuagens Old School? Elas foram as precursoras das tattoos como as conhecemos hoje e surgiram a partir de um jovem marinheiro americano, conhecido como ”Sailor Jerry”. Seus desenhos eram notórios por terem traços bem grossos e pretos e explorarem de cores primárias como o azul, o amarelo e o vermelho, uma vez que, naquela época, não haviam muitas tintas disponíveis.

Essas informações são importantes porque o estilo Old School tem grande semelhança com a atual tendência das Flash Tattoos. Assim como no Old Schoool, a nova moda se aproveita de desenhos pequenos e “simples”, que podem ser feitos rapidamente e com baixo custo.

Quem frequentou os médios e grandes estúdios de tatuagens nos anos 90 viu que as paredes eram sempre cobertas por desenhos dos mais variados estilos, em especial, por desenhos na vibe Old School e Black Work. Naquela época, os clientes tinham acesso imediato ao portfólio, porque estavam cercados por ele. Bastava apontar para um desenho e em pouco tempo sairiam do estabelecimento com a arte na pele.

Foto: Inker Tattoo na Storm Fest

Esse é o berço das Flash Tattoos. Agora, funcionam um pouquinho diferente: os portfólios não estão mais nas paredes, são compartilhados nas redes sociais e exibidos de forma interativa durante encontros e eventos. Os tatuadores expõe suas características mais marcantes e permitem que uma vez vendido o desenho, o cliente tenha exclusividade sobre aquela ideia.

Afinal, o que é Flash Tattoo?

Flash Tattoo é uma tendência de desenhos pequenos que ficam disponíveis para tatuar durante um encontro ou um evento. O tatuador monta seu stand e deixa seu portfólio à mostra. O preço das tatuagens, em geral, é reduzido, mas não é permitido que os clientes façam alterações nos desenhos.

Foto: Inker Tattoo na Storm Fest

O Flash Day pode acontecer no estúdio do artista ou em algum encontro que reúna um ou mais tatuadores. Uma nova possibilidade que vêm se popularizando é a presença de Flash Tattoos em eventos de música, bares e restaurantes. A Inker Tattoo, uma startup de Belo Horizonte, é especialista nesse tipo de serviço, e leva uma série de tatuadores para os eventos mais badalados. A empresa, em parceria com os produtores do eventos, monta um espaço para que as pessoas que estão na festa façam uma tatuagem no meio do rolê (#TatueNoRolê).

A Inker criou um extraordinário sistema de controle de filas que permite que seus clientes aproveitem a festa e só voltem ao espaço de tatuagem quando forem realmente rabiscar a pele. Além disso, implementou um pequeno conjunto de regras que garante o bom funcionamento da campanha e uma ótima aceitabilidade do público:

  • Apenas maiores de idade podem se tatuar;
  • Os atendimentos são feitos por ordem de chegada;
  • As tattoos não podem ser modificadas em tamanho, ideia ou cor;
  • Os flashs não podem ser usados para coberturas de tatuagens antigas;
  • Os pagamentos são feitos exclusivamente em dinheiro ou cartão (de crédito ou débito, sem parcelamento);
  • Os desenhos que já foram tatuados não são repetidos em outros clientes;
  • É permitida a entrada de um e apenas um acompanhante na sala de tatuagem.

Vale lembrar que as Flash Tattoos geralmente são desenhos exclusivos e carregam muito da personalidade artística do tatuador. Para os artistas, são interessantíssimas para divulgar uma nova e particular visão da arte, além de atrair um grande número de clientes. Para os amantes de tinta, esses eventos são uma grande oportunidade para conhecer novos talentos e ainda tatuar a um preço extremamente acessível.

Quais são os cuidados mais importantes pra quem quer tatuar num evento?

Tatuagens são pra sempre, ou melhor, são bem difíceis de remover. Por esse e outros motivos, tem muita gente que morre de medo de enfrentar a agulha. Apesar de o feedback das pessoas tatuadas durante os eventos ser realmente muito bom, é importante tomar alguns cuidados antes de fazer uma marca permanente no corpo.

O primeiro passo é garantir-se de que escolheu um desenho que realmente combina com você. Tome o tempo necessário para conhecer todas as artes disponíveis no evento e entender qual dos traços e estilos mais combinam com o seu gosto. Depois, é importante perceber que nem todos os eventos permitem que você escolha o tatuador que fará a arte no seu corpo. Nesse caso, certifique-se de que o profissional que fará o atendimento tem traços e estilos coerentes com aqueles que você escolheu. Por último, mas não menos importante, é válido conferir se todos os procedimentos de higienização estão sendo seguidos:

Antes da Tattoo

  • Usar luvas, materiais estéreis e descartáveis.
  • Esterilizar a maca e as ferramentas;
  • Encapar a maca com um plástico de proteção;
  • Limpar a pele com álcool;

Durante a Tattoo

  • Trocar de luva e tatuar;
  • Passar sabão antisséptico.

Assim que a tatuagem estiver feita, não se pode ignorar os conselhos dos tatuadores. Limpe regularmente a sua pele com sabão, mantenha-a protegida e nunca se esqueça de hidratá-la. Pegue o contato da empresa que realizou a sua tatuagem. Em caso de dúvidas, não exite em ligar ou enviar uma mensagem.

Quero fazer uma tatuagem grande ou personalizada, e aí?

Se isso é o que você pretende fazer, esperamos que tenha entendido que as Flash Tattoos não são pra você. Fazer desenhos grandes ou personalizados não combina com o ambiente e com a proposta dos Flash Tattoo Day's. No entanto, esses eventos podem ser grande utilidade para fazer sua tão sonhada tatuagem acontecer. Conheça os tatuadores envolvidos, procure ter acesso ao portfólio completo das artes que eles já produziram e, se possível, consiga o contato da galera. Depois do evento, você pode marcar uma sessão com o artista.

A Inker Tattoo, como uma startup que conecta pessoas que querem se tatuar aos tatuadores ideais, também oferece esse serviço. Através do site você pode solicitar orçamentos para os mais diversos tipos de tatuagem, e ainda conta com a assessoria de profissionais da área, que vendo suas referências são capazes de indicar quais são os tatuadores da sua região com o perfil mais adequado para fazer a arte na sua pele. Além disso, a empresa ainda negocia por melhores preços.


Tatuagem vicia?

Ninguém faz uma única tatuagem: Entenda por quê se diz em vício

O que pode ser considerado um vício, cientificamente?

Afinal tatuagem vicia ou não? Primeiro vamos vamos analisar o que sabermos sobre o vício em si. No seu sentido mais amplo, trata-se de uma patologia comportamental de hábitos reiterados associado à psicologia. Em síntese, diversos membros da profissão a definem como:

“Um mecanismo de fuga emocional em que o indivíduo obtém prazer e foge de sua dor”

Já a Organização Mundial de Saúde, considera um vício como uma doença física e psicoemocional.

É claro que existe o vício químico, que modifica a estrutura biológica da pessoa e cuja ausência do aditivo pode causar casos de abstinência e reações físicas, afentando principalmente o sistema nervoso central.

Contudo, esse não é o caso da tatuagem. 

Por quê é dito que fazer tatuagem vicia?

Psicologicamente, a tatuagem pode causar vício sim.  Visto que, poder ocorrer sensação de prazer no ato de se tatuar ou pela graça da novidade, autoafirmação, melhoria estética etc. 

Isso porque, nas sessões de tatuagem, ocorre a liberação de uma alta concentração de endorfina no organismo, hormônio ligado à sensação de prazer. Tal hormônio também é responsável pela melhoria da memória, da disposição, do humor, da resistência física à dor e do funcionamento do sistema imunológico.

"O que separa o vício de um hábito comum é justamente o prejuízo que este comportamento causa na vida da pessoa." 

Tatuagem vicia?  Pesquisas e Estudos científicos

Ademais, primitivamente, tatuar o corpo esteve associado a rituais de cura; bem como evolução em tribos, como escala social e rituais de passagem. Conforme pesquisa realizada na Universidade Goettingen (Berlim - Alemanha), as motivações relativas às tatuagens têm, principalmente, cunho social. Trata-se de propagar um status, melhoria de sua imagem (em sua própria visão ou para a visão dos outros), afirmação de seus princípios, de sua personalidade, demonstração de sua espiritualidade ou até pertencimento a um grupo específico.

Outro estudo realizado na Alemanha, na Universidade de Bohn, analisou o que concerne a sensações. Então, ocorreu um experimento avaliando o cérebro de corredores habituais antes e depois de uma corrida de duas horas e constatou-se a liberação de endorfina tão altas quanto em sessões de tatuagem.

Tirando esses casos ligados à uma antiga cultura e à sensação de bem estar, não há comprovação científica de que a tatuagem crie um vício que não seja apenas psicológico. E, assim como qualquer vício, esta sensação de prazer vinculada à habitualidade varia de pessoa para pessoa.

Primeiros rumores sobre vício em Tatuagem: Um túnel no tempo

Para exemplificar, temos dois exemplos em destaque de “viciados” em tatuagem: Brent Cross e Keith Gordon, que lidaram de forma bem diferente com esse “vício”.

A história de Brent Cross, o Tattoo Man

Brent Cross possui a maior parte de seu corpo tatuado. O mesmo já gastou cerca de 79 mil euros para “fechar” o corpo.

Tudo começou aos 25 anos, quando tatuou pela primeira vez o nome de sua esposa em suas costas. No total, Brent Cross gastou cerca de 720 horas em estúdio de tatuagens. Aos 42 anos, o mesmo manteve de fora do seu vício apenas suas genitálias. Isto apenas para não criar constrangimento com seu tatuador e amigo.

Contudo, apesar de se auto intitular como um viciado em tatuagens, percebemos que pode se tratar apenas de uma identificação pessoal. O mesmo afirma que não se arrepende de nenhuma tatuagem feita e que não se importaria se seus filhos seguissem o mesmo caminho, desde que não fizesse conteúdos ofensivos.

Sendo assim, Brent Cross parece estar feliz e de bem com sua imagem e estilo pessoal.

A história de Keith Gordon: Um rebelde sem causa?

Do outro lado, encontra-se o britânico Keith Gordon. O mesmo se diz sofrer de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) com tatuagens. Ele fez sua primeira tattoo aos 17 anos e de lá para cá não parou mais. Ocorre que, à época, seu estilo de vida era completamente diferente. Ele era skinhead e adepto a cultura heavy metal.

Com o passar dos anos as coisas mudaram e Gordon se mostra arrependido.

Atualmente, para garantir seu emprego em cargo executivo e sustentar sua família, Gordon já gastou mais de 15 mil libras para remover as tatuagens do rosto e do corpo. Para isto, foi necessário além da tradicional remoção, o doloroso procedimento de enxerto de pele.

Keith diz que, na verdade, o excesso de tatuagens se deu em um momento de sua vida em que estava afastado de pontos importantes na sua vida. Do seu próprio “eu” e de seus princípios.

Independente do arrependimento de Keith, a verdade é que ainda existe forte estigma social e em diversas carreiras, que fazem as pessoas deixarem de serem elas mesmas para poderem evoluir profissionalmente. O que leva à questão se o arrependimento de Keith é genuíno ou se foi apenas por perceber as ainda insistentes “travas sociais”.

Tatuagem e julgamentos morais da sociedade

Ao bem da verdade é que as críticas associadas ao suposto vício por tatuagem tem uma origem mais moralista, e não por questão de saúde. Muitas vezes pessoas se dizem viciadas em fazer várias tatuagens. Porém, isso pode simplismente ser um estilo de vida que elas adotaram.

Contudo, sempre vão existir pessoas de "mente fechada" que podem ser contra fazer tatuagem. É impossível agradar todo mundo. Por isso, lembre-se que eternizar algum momento da sua vida, homenagem ou simplismente um desenho que você acha f#da e que combine com você é uma questão pessoal, não deixe que a opinião dos outros sobreponha a sua!

Como já dito anteriormente, além dos benefícios associados ao prazer de fazer uma  tatuagem; existe a questão importantíssima de reconhecimento da auto imagem.

A partir do momento em que pensamos em tatuar algo no nosso corpo, queremos materializar alguma coisa com isso.

Se tatuagem vicia, é um vício que vale a pena. rsrs

Alguns dos palpites ligados à imagem que temos do nosso corpo para promover tais alterações seriam:

  • Uma tatuagem define você: Cria individualidade em meio a multidão. Também é uma forma de dizer sobre a sua singularidade, como você se posiciona ou quer se posicionar no mundo. Além disso, pode contar suas histórias, gostos, o que você ama, o que sente saudade, a que grupo pertence, etc.
  • A tatuagem dá sensação de poder: Sobre o seu corpo, sobre controle de dor, já que está vinculado à resiliência e ao comando sobre sua vida. A tatuagem pode ser o gatilho da superação de uma fase ruim, uma quebra de vínculo. Ao invés de cortar ou pintar o cabelo, por exemplo. Ao invés disso, você pode fazer uma tattoo marcando para sempre aquele momento difícil que você foi forte superou.
  •  A tatuagem é um ato de resistência: Com a imposição de tantos padrões estéticos em nossa sociedade, sair deles é um verdadeiro ato de resistência. A maioria delas ainda implicam uma afirmação de que você é contra os padrões. Além disso, mostra quer conquistar seu espaço com a sua personalidade e não ter que mudar para “se encaixar”.

Tá esperando o quê pra ir rabiscar sua próxima nova tattoo?

Antes de mais nada, quando o assunto é tatuagem, não existe resposta certa para todos. É importante apenas reflitir o seu estilo pessoal de cada indivíduo e o represente. Por isso, é bom pensar duas vezes sobre adotar modismos ou vontades temporárias. Mas se tiver a fim, vai lá e faz! Seu corpo suas regras! A Inker apoia qualquer tipo de expressão na pele, seja ela movida por um significado ou por estética.

Muita pesquisa e conversa com um bom profissional, bem como autoconhecimento, são essenciais para fazer aquela tattoo única e cheia de personalidade. O mais importante é ser livre de arrependimentos! A menos que você acabar sofrendo com varias sessões de remoção de tatuagem como Keith Gordon!   

 

Gostou? Comente aqui o que você achou e se inscreve na nossa newsletter para receber mais conteúdos sobre o mundo das tatuagens!